segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Sem pressas...

     Olá!

     Cada vez mais me dou conta de que vivemos com tanta pressa  que não apreciamos aquilo que passa por nós, e rapidamente somos apanhados pelo turbilhão do dia a dia. Com o Natal à porta, deixamos de viver o momento presente. Num atropelo constante das horas e dos dias até esquecemos que  ainda é tempo de outono, de castanhas assadas, de chá quente, de scones e de fins de tarde à lareira sem pressas.
     Vamos deixar para o mês de Dezembro os pinheiros, as pinhas, o musgo e o azevinho,  e vamos viver o outono na sua plenitude. Sem pressas.







     Detalhes de um lanche domingueiro, em ambiente descontraído e depurado. As bases em madeira, resultado do corte de uma árvore, vieram da casa da Evelyne, e conferem aquele charme outonal de que tanto gosto...





    Sobre as referidas bases, repousam as doces tentações que não podem faltar! Compotas caseiras,  scones e chá bem quentinho numa tarde de outono chuvosa...







    Desejo a todos uma excelente semana. Sem pressas.

     Manuela.

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Vai um chá?!

       Olá!

     Pensar nos presentes de Natal, é viver uma experiência de emoções, que tem de passar necessariamente por gostar de dar e de partilhar afectos.
 Numa estação em que  a natureza nos presenteia com tanta coisa, basta usar um pouco de imaginação. Por aqui, e à semelhança daquilo que fiz em anos anteriores (pode ver AQUI ) as ervas de chá foram colhidas atempadamente, para que agora possam ser embaladas de forma apelativa, e posteriormente  encher pequenos cestos para presentear aqueles de quem gostamos.
A simplicidade dos invólucros e dos rótulos é sempre a melhor escolha, e escolhi um chá que normalmente agrada à maioria das pessoas...






   

    A Lúcia Lima, de nome científico Aloysia citrodora, é uma planta considerada verdadeiramente milagrosa devido às suas propriedades relaxantes que ajudam a acalmar o sistema nervoso e alivio das enxaquecas, além de ser uma óptima aliada para quem anda em falta com o sono, pois ela ajuda a regulá-lo.    É um arbusto que pode atingir de 3 a 7 metros de altura e exala um delicioso aroma alimonado. Também conhecida como Limonete, Bela Luísa, Erva Luísa, Doce Lima entre outros.




Indicações:

O chá dessa planta é indicado:
  • Dores menstruais;
  • Cólicas biliares e renais;
  • Enfartamento e má digestão;
  • Ansiedade – em alguns casos, o uso dessa planta trouxe resultados melhores do que os tratamentos químicos, com a vantagem de não possuir os efeitos colaterais.

E já agora, cá vai a receita para um delicioso Chá de Lúcia Lima!
A preparação do chá é simples. Colocar duas  colheres de sopa de folhas secas de limonete ou lúcia-lima no bule, com água fervente. Tapar, e deixar repousar mais ou menos 10 minutos. Depois, depois? É só beber!
Então, acerte o passo e não se deixe ficar para trás! Comece  a pensar naquilo que vai oferecer em Dezembro a quem lhe é mais próximo. É que no final vale mesmo a pena...



Manuela

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Pequenos luxos...

Olá!

     O meu conceito de luxo evoluiu para algo que até há poucos anos atrás era para mim inimaginável... Poder iniciar o dia com sumos preparados com fruta acabada de colher, ou uma fatia de bolo ou de pão ainda quentes cozidos no forno a lenha, fazem parte de um ritual que se mantém todos os fins de semana, e que a minha gente não troca por nada. Depois, poder colher os vegetais para a sopa, ou conviver com os animais que são deixados livres para circularem à vontade, significa manter um contacto com a natureza que só é possível para quem é adepto de um estilo de vida mais rural... Muito embora resida na cidade, há já muito tempo que este espaço é por nós eleito para descansar durante os fins de semana. Sou cada vez mais adepta confessa dum modo de estar ecológico, e por isso cá em casa o respeito pela natureza é levado muito a sério.

     E quem não gosta de ao final de uma semana de trabalho recuperar a calma, embalada pelo movimento das folhas das árvores ao sabor da brisa ou pelo cântico dos pássaros? Não é um capricho. É antes uma convicção.






     Cá por casa, o carácter festivo nunca foi sinónimo de ocasiões especiais... Celebramos os encontros com amigos, com composições simples e descontraídas, sem preocupações de estilo! O prazer está em receber.








P/S- Marcia, estas imagens são para ti e para os teus, pelo prazer que constantemente manifestam sempre que nos visitam!

   Um abraço,

 Manuela

      

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

As primeiras tentações de outono!

     Olá!
    Com o equinócio de outono já chegaram os dias mais curtos, o clima mais ameno, e a natureza começa a parecer uma aguarela de matizes de torrado e amarelo. Simultaneamente, parece que se entra num período de introspecção e sossego, onde não há tempo para desinquietar a mente. E daqui a dias, a chegada do frio convida a permanecer mais tempo em casa, e nada melhor do que começar a fazer aqueles doces que irão aquecer os serões de inverno, sem ter de fazer contas às calorias....
Por aqui, já demos inicio às variadas compotas e doces de figo. E enquanto o tempo o permitir, ainda se vão saboreando no exterior.







         Ouço por aí, que as cores de outono deixam os ambientes com um toque intimista e sofisticado. Eu diria antes, um toque despojado. Decorar os espaços com cores e elementos da natureza, torna os ambientes aconchegantes, calorosos como eu gosto. Ter a natureza por perto, e poder trazê-la para dentro de portas, sem grandes pudores, é sem dúvida alguma recriar um estilo de vida sustentável, em que o olhar é constantemente direccionado para o que nos rodeia e de certo modo, envolve. Mas isto são as tais manias... minhas e de muita gente.






       Enquanto isso, já se vão registando´- e aceitando- ideias para novos sabores, novas tentações que dentro de dias invadem a cozinha de novos aromas!






  Continuação de uma boa semana!

  Manuela




segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Em modo Slow Living...

     Olá!

     De repente já estamos quase no outono. Mas pelos vistos não foi o verão que passou depressa demais, somos nós que com estilos de vida apressados nem percebemos que a velocidade é problema nosso! Por isso há que abrandar este ritmo desenfreado, e dar o devido tempo às coisa simples da vida. No Domingo foi tempo de desacelerar, e tomar o pequeno-almoço sem pressas e sem horas. Em modo slow. Como eu gosto...








      Nada como partilhar o melhor do dia, numa mesa sempre pronta para receber amigos e mais um prato de coisas boas. Slow food, pois então! Depois de uma semana atarefada, o Domingo traz sempre  a possibilidade de me dedicar mais à cozinha e de preparar algo mais especial para a minha gente. E desde o pequeno-almoço até à hora de deitar, tudo passa pela mesa. Demore o tempo que demorar...Com visitas em casa, o pequeno almoço foi informal, acolhedor e convidativo. Como deve ser. Manias...








      
      Uma boa semana para todos e já agora... em modo Slow Living!

      Manuela